Pesquisar

Eu quero resetar!

Eu gosto muito do meu jeito sério. Gosto do jeito que escrevo e dos times que eu torço. Gosto da minha estatura, da minha cor de pele e gosto pra caramba de quando faço progressiva e meu cabelo fica mais fácil de pentear. Também curto meu quarto, minha casa (embora abomine o bairro), o Corsa 2006 que meu pai divide comigo e também acho maneiro o jeito que eu dirijo. Amo minha namorada e a família dela, só não gosto da igreja onde eles congregam.

Eu poderia e até deveria ficar listando aqui as coisas da minha vida que eu gosto porque eu não sou daqueles que odeiam tudo, até a própria cueca. As coisas que me cercam, de certa forma me agradam e eu me sinto bem do jeito que sou mesmo sabendo que ainda irei melhorar conforme o curso da vida se desenrolar. Eu gosto de mim.

Eu odeio demais a postura que as pessoas têm de ficar falando:

"Aí eu, que sou um bosta, acabei fazendo tal coisa";
"Ah, eu só jogo esse jogo porque eu sou um retardado";
"Escolhi o azul ao invés do vermelho porque sou um mongoloide";
"Tinha que ser eu pra ter feito essa porcaria".

Se valoriza, caralho. Fala que fez tal coisa porque achou que era mais apropriado, e por acaso não foi, você terá feito aquilo que sua consciência orientou. Eu fico muito bravo quando assisto alguns YouTubers Teens que têm a desmoralização de dizer "ninguém é tonto de fazer isso pra colocar na internet, só eu". Ah, vai se ferrar, covarde! Valoriza a droga do seu conhecimento!

Aí se vem alguém de fora e fala "você é feio", noooooossa, tá arranjada a confusão. Pois é, essa é a geração de merda que a gente vive.

Enche o peito e fala assim:

EU GRAVO MINECRAFT PORQUE EU GOSTO. E EU JOGO DESSE JEITO PORQUE ACHO MELHOR.

Assim você estará fazendo algo de acordo com a sua personalidade, e terá plena certeza quando ela estiver mudando conforme você alterar o jeito de fazer tal coisa. Chega de desvalorização, você não é uma bosta!

Vamos chegar logo ao ponto: eu gosto de tudo em mim, tirando uma coisinha e outra, claro, mas no geral, estou satisfeito. Porém tem uma coisa de que não me orgulho: o conteúdo audiovisual que eu produzo. Ratificando: não odeio minha capacidade para tal, nem minha mente hiperativa, apenas todo o conteúdo de forma geral, geralzona, total, global.

Desconsiderando todos os blogs e fóruns que eu criei antes dos 12 anos, eu criei este blog aqui (que surgiu com a premissa de ser meu blog de escritor), o canal weslleysantos10 com vídeos de Minecraft, o canal Eu e Meu Controle com vídeos sobre games, e o atual Gunnar Santos de volta ao Minecraft. Grupo GNR, Universo GNR, GNR Station... Tá uma bagunça tão grande nisso tudo que eu quero resetar!

Quando eu entrei pro mundo audiovisual com meu primeiro canal de Minecraft foi tarde. Tudo bem que eu só tinha 18 anos, mas era tarde. Minecraft não é um conteúdo corporativo, ou seja, a não ser que por trás haja toda uma equipe de produção trabalhando com estratégias de mercado, marketing e visualização, não compensa gravar.

"Ah, mas e o Rezende Evil, o Authentic, Tazer Craft e todos esses garotos que gravam Minecraft pro YouTube?". Todos começaram cedo, com 15 ou 16 anos. Faziam por prazer, pela diversão. Deu certo. Parabéns aos envolvidos. Hoje esses caras lançaram livros, linhas de produtos, peças de teatro e tudo mais. Hoje. Ontem era tudo brincadeira. Com 15 anos dá pra brincar. Com os 21 que eu estou agora é até pecado.

Idade é apenas um número, daria muito bem pra eu tornar meus videozinhos de Minecraft uma fonte de renda. Acontece que há mais no entorno. Eu fiz 5 semestres de Jornalismo. Saí porque não teria dinheiro pra continuar pagando. Estou desempregado. Desde o começo do ano eu tracei a estratégia de focar meu tempo integral ao meu canal, elaborando conteúdos, gravando e editando vídeos. FIZ ISSO PORQUE ACHEI QUE FOSSE A ESTRATÉGIA CERTA, E NÃO PORQUE SOU UM MONGOLOIDE! Eu tinha uma meta até o meio do ano que está muito longe de se cumprir, então eu já estou bolando outra jogada. E isso significa resetar.

O meu canal vai ter que parar, eu preciso de um emprego. Moro sozinho com meu pai, e ele não fez um homão desse aqui pra com 21 anos de idade ficar em casa o dia inteiro no videogame. É uma questão de lógica ajudar a pagar as contar aqui em casa, ainda mais quando a outra alternativa é gravar vídeos de Minecraft e não ganhar nada. Com 21 anos não se faz nada por prazer em período integral, só se faz por dinheiro. Se alguém conseguir juntar as duas coisas, ótimo.

Mas ao contrário do que eu fiz com os outros canais, este eu não excluirei. Simplesmente vou deixá-lo lá e publicar uma coisinha ou outra quando tiver um tempo livre.

Porém eu realmente preciso resetar, começar do zero, e estou fazendo isso. O GNR Station e suas redes sociais a partir de hoje estão devidamente cancelados. E como o "Grupo GNR" só é composto por mim, ele também está cancelado, assim como sua página no Facebook. Essa página, por sinal, era minha em 2014, era a página do escritor Gunnar Santos. Saí um pouco da Literatura, mudei minha área para games (da qual não sairei) e a página acabou virando Grupo GNR. Hoje ela chega ao fim.

O que sobra: este blog aqui, que não tem nada a ver com o Grupo GNR e é apenas um lugar onde eu registro minhas evoluções para ler tudo de novo antes de morrer, e o canal Gunnar Santos. Duas coisas que não têm nenhuma relação de dependência uma com a outra. É bem hard eu fazer isso, mas é muito necessário.

Falando sobre minha essência, nada vai mudar. Continuarei na área de comunicação em games, mas não produzirei nada por enquanto. A estratégia agora é a seguinte: formar uma base de conhecimento suficiente para trabalhar com conteúdo gamer profissional, ou seja, ESTUDAR. Enquanto trabalho, retomo a faculdade de Jornalismo e busco conhecimentos paralelos em audiovisual e multimídia. Finalizada a faculdade, terei um diploma e o objetivo de produzir conteúdo na mídia especializada em games. Diploma e conteúdo, amigos, é grande coisa sim.

O que vai vir depois disso, eu não sei. A vida fará a sua parte. Mas é a estratégia que eu usarei de hoje em diante, e com certeza a mais garantida. Não significa que deixei de ser ousado, porque ser jornalista de games é uma ousadia e tanto, jovens. No final das contas a gente vai acabar se vendo por aí, e você vai continuar lendo meus textões, só que fora da GNR. Entretanto, para que tudo isso aconteça, eu preciso abrir mão do meu canal e do site GNR Station. Essa atitude é realmente necessária.

As séries O Progresso e O Reino de Zerome, produzidas por mim atualmente, terão seus devidos encerramentos, e marcarão a saída definitiva do Minecraft no meu conteúdo. Ratifico que o canal não ficará parado até eu completar 50 anos, porque nos meus tempos livres ele terá minha atenção. E neste reset da minha vida, eu espero total apoio de vocês.

Um milhão de agradecimentos a Erri Taekwoon, Levi Fernandes e Alef Alves. Vocês são incríveis!

Um é dez, três é vinte! - Comprei jogos pirata!


Iaê, amada garotada!

Quem aqui teve um dos dois primeiros Playstation? Pois é, você se lembra muito bem que cada jogo custava R$5,00. Cinco reais eram suficientes para fazer qualquer criança feliz (qualquer criança que tinha Playstation). Teve um dia que eu comprei TRÊS FUCKING GAMES para Playstation pelos mesmos cinco Lulas.

Eu gostaria de ser mais velho em 2004. Quando eu tive meu Playstation, tinha 08 anos. Se eu fosse mais velho, saberia mais quais jogos comprar. Os adolescentes daquela época liam revistas com detonados, cheats, trapaças, dicas etc, e através delas se orientavam sobre qual seria o próximo jogo que comprariam. Eu não sabia nem que existiam revistas de games.

Eles iam lá com cinco conto e voltavam felizes. Era uma felicidade tão comprada mesmo que se não estivessem com nenhum jogo em mente, só o fato de ter o dinheiro pra comprar era justificativa suficiente para comprar qualquer um. Fiz muito isso, e foi assim que eu descobri grandes jogos.

Foi com essa mesma visão que eu comprei Stuart Little. Mano do céu, ninguém conhecia, ninguém comentava, acho que ninguém nem sabia que existia, mas eu encontrei lá na prateleira e comprei. Cinco reais. O jogo era (sob a minha ótica em 2004) incrível. 3D, plataformas, lutinhas etc. E aí amarguei minha primeira decepção com games: o CD travou no meio do meu progresso. Aí chegamos ao ponto dessa postagem.

[RESENHA #12 - FILME] Como Treinar O Seu Dragão 2



ESSE SIM É O SOLUÇO! O garoto crescidão, cheio de si, confiante até a beça e atingiu um nível de liderança. E o Banguela? Também está mandando ver, carismático como sempre, fazendo umas manobras iradas e também está muito mais confiante tanto em si mesmo como na união dele com Soluço. Os dois formam uma bela dupla.

O primeiro filme é a origem de tudo, como tudo começa, como um conhece o outro, como a história muda, como o ambiente se adapta com aqueles novos desdobramentos e é bem carregado de emoção. Ou seja, contém informações valiosíssimas para o universo da trama. Todo primeiro filme de uma história fantasiosa é assim, tanto que sempre há continuação. Em Como Treinar O Seu Dragão, o segundo filme passa a mensagem de "já conhece o universo? Está adaptado a respeito de como as coisas acontecem aqui? Ótimo, tá na hora do pau".

[RESENHA #11 - FILME] Como Treinar O Seu Dragão



Amada garotada... Eu não tenho nem palavras pra começar essa postagem tamanha emoção. Eu sou péssimo em começar postagens, vídeos, snaps etc, mais ainda na situação que estou agora, sob efeitos emotivos de Como Treinar O Seu Dragão.

Eu nunca li os livros. Uma vez encontrei todos eles na Livraria Leitura, e lamentei muito ser desprovido de riqueza naquele momento. Abracei todos aqueles livros e disse que voltaria para buscá-los depois. Inclusive é uma informação relevante sobre o título: é uma série. Banguela não foi o primeiro dragão que Soluço domesticou. Tudo isso e muito mais aventuras são narrados nos 11 fucking livros. Essa resenha é única e exclusivamente sobre o filme. Não farei comparações com o livro, relatar o que ficou de fora, o que é mentira, o que é fiel, enfim... Então já sabe. Vamos à resenha.

Eu não quero falar de termos técnicos aqui, eu quero falar da arte que é este filme. Sabe o que é arte? Arte é algo individual, já falei sobre isso aqui. O que é arte pra mim, pode não ser arte pra você. Mas no caso de Como Treinar O Seu Dragão, é arte pra todo mundo. Há discussões sobre uma pintura ser arte porque muita gente não consegue interpretar aquilo. Um filme como este é muito mais fácil de ser "interpretado", então alguma sensação a pessoa vai sentir ao assisti-lo, tenho certeza disso.

Afinal, eu produzo que tipo de conteúdo?


Iaê, amada garotada!

Essa postagem inicia o recomeço aqui do meu blog, depois de praticamente dois anos sem postagens (sendo o último o período em que mais tive visualizações aqui, vai entender). Eu pretendo realizar postagens aos domingos. Domingo tem cara de família, churrasco, casa da sogra, ou seja, intimidade. É o dia perfeito para o conteúdo que pretendo trazer aqui, além dos vídeos de sábado lá no meu canal, como você já sabe. Caso esteja chegando agora e não conheça meu canal, clique aqui e me ajude com +1 inscrição.

Muito bem. Por ser a primeira postagem, decidi fazer algo mais casual, ou seja, escrever sobre mim e meu conteúdo. Eu sei que venho postando sobre esse assunto sempre, e peço até desculpas por isso. Mas acontece que eu venho me remodelando frequentemente, quase que a cada seis meses. Não sei se isso é algo bom ou ruim, prefiro pensar que seja bom. E eu amo esse pequeno público que consegui aqui no GNR, faço questão de atualizá-los a respeito do que se passa comigo.