Pesquisar

À beira de uma guerra

O texto da postagem está destacado abaixo porque este blog foi criado em 2.012, quando Gunnar Santos tinha apenas 16 anos. Ele publicava aqui conteúdo de Política devido a sua vontade em seguir o Jornalismo Político.

Os textos que contêm tal destaque, como este, são apenas os de caráter crítico e político escritos naquele momento e, portanto, não representam qualquer posicionamento, opinião ou pensamento tanto da GNR como do próprio Gunnar. A decisão de mantê-los aqui se deu pelo fato de que faz parte da história do conteúdo produzido por ele. No entanto, para evitar interpretações equivocadas, se fez necessária a adição desta nota.

Em contrapartida, as antigas publicações literárias não fazem parte dessa classe e não carregam esse aviso.

- Grupo GNR.

Em caso de provocação impudente dos Estados Unidos, as forças norte-coreanas deverão atacar sem piedade o território continental americano, as bases militares do Pacífico e as bases encontradas na Coreia do Sul - anunciou o ditador da Coreia do Norte Kim Jong-un.

O armistício vigente desde 1.953 entre as Coreias do Norte e do Sul pode chegar ao fim a qualquer momento. Isso porque KCNA (Korean Central News Agency - agência oficial de notícias norte-coreana) anunciou que a Coreia do Norte está em estado de guerra contra a Coreia do Sul.

O ditador norte-coreano Kim Jong-un afirmou que em qualquer caso precipitado dos Estados Unidos, as forças norte-coreanas deverão atacar sem piedade o território continental americano, as bases militares do Pacífico, incluindo Havaí e Guam, e as que se encontram na Coreia do Sul.

"A partir de agora, as relações Norte-Sul estão entrando no estado de guerra e todas as questões levantadas entre o Norte e o Sul vão ser tratadas sob o protocolo da guerra" - afirma comunicado norte-coreano assinado por instituições internas da Coreia do Norte.

Qual o motivo desta guerra poder acontecer a qualquer momento entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul?


B-2 (esq.) sobrevoando território sul-coreano ao lado de
aeronave bombardeira (dir.). (Foto: G1)
Em fevereiro, o país comunista realizou um teste nuclear e Pyongyang, capital do país, anunciou rebote militar contra seus agressores. Então a ONU, acionada, impôs novas sanções internacionais à Coreia do Norte. Susan Rice, informou que essas sanções adicionais impediriam o país de desenvolver sua atividade nuclear.

Mesmo assim, na quinta-feira (29), em resposta a isso os Estados Unidos lançaram o B-2 para sobrevoar o território sul-coreano. Trata-se de uma aeronave de alta tecnologia com capacidade para transportar armas nucleares, lançar bombas e voar muito próxima a velocidade do som. Este era o sinal que reforçava a aliança americana com a Coreia do Sul. Foi então que o ditador Kim fez o pronunciamento.

Então neste momento, novamente a Terra está à beira de uma guerra. Qualquer ação precipitada dos Estados Unidos autoriza o conflito armado e inicia, definitivamente, a guerra. Serão atacados território americano, Alaska, que está no campo de visão da Coreia do Norte, bases do Pacífico e outras bases encontradas na Coreia do Sul.

Fontes: G1, BBC Brasil.

Nenhum comentário :

Postar um comentário