Pesquisar

Explosões em Boston - O núcleo pode ser a infiltração de estrangeiros

O texto da postagem está destacado abaixo porque este blog foi criado em 2.012, quando Gunnar Santos tinha apenas 16 anos. Ele publicava aqui conteúdo de Política devido a sua vontade em seguir o Jornalismo Político.

Os textos que contêm tal destaque, como este, são apenas os de caráter crítico e político escritos naquele momento e, portanto, não representam qualquer posicionamento, opinião ou pensamento tanto da GNR como do próprio Gunnar. A decisão de mantê-los aqui se deu pelo fato de que faz parte da história do conteúdo produzido por ele. No entanto, para evitar interpretações equivocadas, se fez necessária a adição desta nota.

Em contrapartida, as antigas publicações literárias não fazem parte dessa classe e não carregam esse aviso.

- Grupo GNR.

Imagem recuperada do momento da primeira explosão, próximo a linha de chegada.

Sem dúvida foi o assunto mundial da semana. Até porque qualquer tipo de explosões já estimula aquela tensão quando lemos ou ficamos sabendo de algum fato. Quando se trata dos Estados Unidos a atenção é dobrada, pois é a maior potência e maior atraente de imigrantes (também incluo as ações externas como imigrantes).

Durante a tradicional Maratona de Boston na segunda-feira (25), houveram duas explosões na margem da pista atlética, na região da plateia. Três pessoas morreram e mais de 170 ficaram feridas.

A polícia ficou em estado de alerta e anunciou toque de recolher à população local. Após exibir fotos dos dois suspeitos através dos principais canais de divulgação, cerca de 26 horas foram suficientes para chegarem a eles. Destaca-se aí a eficiência respeitada da polícia americana. Mas enfim...

Foram identificados como os irmãos russos Djokhar e Tamerlan Tsarnaev, de 19 e 26 anos, respectivamente. Durante a madrugada de quinta para sexta-feira (18-19), duas ocorrências deixou a polícia sob atenção: a morte de um policial que atendia uma ocorrência e o roubo de um carro. Não sei como e não há interesse em saber (pelo menos não neste artigo, quem sabe em um próximo) os policiais localizaram o carro em questão.

Após uma perseguição, Tamerlan, o mais velho, foi morto durante tiroteio com a polícia. Djokhar conseguiu fugir, mas ainda na sexta-feira (19) foi encontrado totalmente ensanguentado em casa.

Foi conduzido pelos policiais a uma ambulância e sob aplausos da vizinhança, claro.

Trata-se de terrorismo? Sim. Qualquer fato que envolve explosões, em locais muito movimentados e nos Estados Unidos, já tratamos como terrorismo. Ainda mais da origem: os irmãos eram russos.

Ambos tinham residência americana e, segundo o The New York Times, um deles tinha medalhas esportistas, de voleibol. Porém essa é a estratégia de sucesso: infiltração.

É neste fator que a segurança americana deve ser mais rigorosa, na entrada de estrangeiros. Temos o filme Os Infiltrados, de Martin Scorcese, onde Collin Sullivan (Matt Damon) é um integrante da máfia que está infiltrado na polícia de Boston (coincidência, só isso). O conflito do filme é justamente quando é descoberto tanto pela polícia quanto pela máfia que há infiltrados entre ambos (já que a polícia infiltra Billy Costigan - Leonardo Di Caprio - no grupo inimigo).

É baseado neste filme que forças externas maliciosas (pelo menos no nosso ponto de vista, não no deles) adquirem informações delicadas. Através de informações de importância elevada que são "vazadas". Através de quem? Dos infiltrados.

Outro exemplo mundial: atentado ao World Trade Center em 2001. O serviço foi muito bem pensado. Foi uma coisa de primeira, onde ninguém jamais havia pensado em sistema similar. Transformaram dois aviões em duas bombas. De acordo com documentários a respeito do fato (sim, Discovery Channel), os aviões atingiram pontos chaves da estrutura dos prédios. Se tivessem atingido cinco andares acima ou abaixo, tudo não passaria de um incêndio, pois as vigas sustentariam sim. A estrutura era altamente tecnológica.

Acertaram, também, na escolha dos aviões. Ambos eram comerciais, pesados, com muito combustível na reserva que fez com que o fogo se emancipasse por toda a área.

Como sabiam que o ponto fraco das vigas de sustentação das Torres Norte e Sul era justamente no local que o avião "entrou"? Garanto que não foi pelo Google. Foi através dos infiltrados. Foi um plano de cerca de 10 anos, que com certeza se basearam desde o início com uma planta oficial das duas torres. Como conseguiram? Infiltrados, sim.

Claro que as explosões em Boston não foram de um nível profissional, mas foram desenvolvidas através de pessoas que se infiltraram, eram cidadãos americanos que disputaram até medalhas por uma escola. É nesse quesito que a segurança dos Estados Unidos deve se preocupar. Do mesmo jeito que a Al Qaeda levou 10 anos para elaborar um projeto eficiente, podem desenvolver durante 20 anos ou mais um projeto para infiltrar um segurança do presidente americano.

Nenhum comentário :

Postar um comentário