Pesquisar

Projeto de lei é o "jogo de cúpulas". Não fala que é governo x oposição, soa muito forte.

O texto da postagem está destacado abaixo porque este blog foi criado em 2.012, quando Gunnar Santos tinha apenas 16 anos. Ele publicava aqui conteúdo de Política devido a sua vontade em seguir o Jornalismo Político.

Os textos que contêm tal destaque, como este, são apenas os de caráter crítico e político escritos naquele momento e, portanto, não representam qualquer posicionamento, opinião ou pensamento tanto da GNR como do próprio Gunnar. A decisão de mantê-los aqui se deu pelo fato de que faz parte da história do conteúdo produzido por ele. No entanto, para evitar interpretações equivocadas, se fez necessária a adição desta nota.

Em contrapartida, as antigas publicações literárias não fazem parte dessa classe e não carregam esse aviso.

- Grupo GNR.

Arlindo Chinaglia, líder do governo na Câmara, diz que projeto contra criação de partido não é de Governo contra Oposição.

Essas eleições de 2.014 estão dando o que falar. Está em fase de aprovação no Senado um projeto que prejudica novos partidos. Este projeto consiste em dificultar a vida de novos partidos ao fundo partidário e a propaganda eleitoral. Esses dois fatores são essenciais para o desenvolvimento de novas siglas, onde sem eles os partidos são impedidos de se desenvolver.

Sem desenvolvimento de novos partidos, sobra mais tempo no rádio e televisão para o PT que, caso o projeto venha a ser aprovado mesmo, passará a ter 61% do tempo da mídia. Essa lei prejudicaria Marina Silva, que tenta fundar o partido denominado Rede. Porém acaba prejudicando, também, Eduardo Campos, do PSDB, já que são reduzidas as chances de segundo turno.

Veja o que foi dito pelo deputado petista Arlindo Chinaglia:

"Não é questão de governo ou de oposição. São os partidos brigando por fundo partidário e tempo de rádio e televisão. É um jogo de cúpulas focado na eleição.[...]"

Como assim não é questão de governo ou oposição? Ele quis dizer que o atual governo não está "brigando", digamos assim, pela aprovação do projeto contra a oposição? Isso tudo é, segundo ele, um jogo de cúpulas, mas não uma questão de governo e oposição? Sinceramente não entendi.

É algo que considero inapropriado. Querem reduzir os benefícios a novos partidos por quê? Porque é um "jogo de cúpulas", mas não uma tentativa de aniquilar a oposição (?).

Se fosse tudo empresa, diria que é monopólio. Mas não, é governo contra oposição; ou "jogo de cúpulas", como preferir.

Nenhum comentário :

Postar um comentário