Pesquisar

O povo é que está saindo errado nessa história

O texto da postagem está destacado abaixo porque este blog foi criado em 2.012, quando Gunnar Santos tinha apenas 16 anos. Ele publicava aqui conteúdo de Política devido a sua vontade em seguir o Jornalismo Político.

Os textos que contêm tal destaque, como este, são apenas os de caráter crítico e político escritos naquele momento e, portanto, não representam qualquer posicionamento, opinião ou pensamento tanto da GNR como do próprio Gunnar. A decisão de mantê-los aqui se deu pelo fato de que faz parte da história do conteúdo produzido por ele. No entanto, para evitar interpretações equivocadas, se fez necessária a adição desta nota.

Em contrapartida, as antigas publicações literárias não fazem parte dessa classe e não carregam esse aviso.

- Grupo GNR.

"Nós precisamos abrir a discussão sobre as consequências dessa decisão que foi tomada [...]" - Fernando Haddad, Prefeito da cidade de São Paulo.

O gigante acordou?! Então o gigante tem que acordar DE NOVO! Com as manifestações  que ocorreram no Brasil inteiro devido ao aumento do preço da passagem de ônibus a democracia venceu e o preço voltará a custar o valor anterior ao último reajuste. Isso porque, pelo menos em São Paulo, a prefeitura compreendeu de maneira diferente e que consequências ocorrerão devido ao dinheiro que deixará de entrar ao cofre da cidade.

Veja o que foi dito pelo prefeito Fernando Haddad no anúncio oficial da redução do preço da passagem do transporte público:

"Nós precisamos abrir a discussão sobre as consequências dessa decisão que foi tomada pra 
hoje e pro futuro. [...] não há como fazê-lo sem as dispensas do investimento. O 
investimento acaba sendo comprometido. [...] gesto de abertura do entendimento de manutenção de um espírito de democracia, de convívio pacífico, que nós continuaremos a fazer com a cidade; Agora com mais responsabilidade porque temos que explicar as consequências desse gesto para o futuro da 
nossa cidade. Então estaremos com diálogo permanente com a população de São Paulo [...] para que o orçamento da cidade seja repensado à luz dessa nova realidade. Algo que nós 
pretendemos fazer."

Haddad disse, então, que investimento acaba sendo comprometido. Do mesmo jeito que ele tem que "explicar as consequências desse gesto para o futuro da cidade", a população tem que explicar a ele não que vivemos em um país democrático, mas sim que todos sabiam que esse valor apenas aumentaria a renda da cidade e que para entrar no local de trabalho, no centro da cidade, uma pessoa deve sair de sua casa três horas antes não pela distância, mas pelo trânsito. Tem que explicar para ele, que ônibus continuariam a quebrar no meio do percurso, atrasando o indivíduo a entrar no horário certo ao serviço.

O prefeito nem explicou qual seria esse investimento. Nem brigou para manter o preço da passagem. Se esse investimento fosse benéfico para a população paulistana e se houvesse meios para provar isto, Haddad o faria com certeza. Com vinte centavos daria sim para melhorar o transporte público, mas se esse investimento fosse plausível, objetivo e com o retorno previsto, tenho a certeza que ele iria citar quais medidas seriam tomadas e onde o dinheiro seria aplicado. Isso mostra que ninguém sabia no que o valor seria investido.

Quando ele disse que teria que explicar as consequências da redução da passagem, eu digo em nome de todos os cidadãos paulistanos que sei quais eram as consequências:

  • Ônibus cheio;
  • Trem cheio;
  • Intervalo longo entre um trem e outro;
  • Intervalo longo entre um ônibus e outro;
  • Ônibus quebrando.
Mas isso, senhor prefeito, continuaria mesmo se a passagem custasse R$ 5,00! Quanto mais a R$ 3,20. Como eu disse anteriormente em uma postagem, vinte centavos é o preço do pão que cada cidadão deixaria de comer! Então, como o povo mostra não ser tão ignorante assim, que o valor continue R$ 3,00. Venceu a democracia.

Clique aqui para verificar parte do pronunciamento de Haddad.


Nenhum comentário :

Postar um comentário