Pesquisar

[RESENHA] A Culpa É Das Estrelas - John Green #02

"Você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais". - Gunnar Santos

A citação acima não foi feita por mim, ela existe na capa do livro da edição da Intrínseca e foi dita por Markus Zusak, autor de A Menina Que Roubava Livros. Acontece que essas palavras são tão condizentes com a realidade que as faço minhas.

De bate-pronto digo que é o melhor livro que eu já li até agora. Isso pode mudar, claro, afinal ainda lerei muitos outros, só que eu já sei muito bem que superar A Culpa É Das Estrelas é será uma tarefa completamente difícil.

Nesse livro, parece que realmente estamos na história e nos pegamos fazendo caretas de tristeza no final do livro. Tem umas partes que dá vontade de chorar. Eu não cheguei a derramar lágrimas, mas meus olhos se encheram de lágrimas com certeza. Eu gostei disso. Nunca tinha reagido a um livro dessa maneira.

Hazel Grace tem câncer de tireoide em estágio IV e seu pulmões se enchiam de um certo líquido bem estranho. Como consequência, Hazel tinha muitas dificuldades para respirar, usava um cilindro de oxigênio, tubos que saíam deste e iam para seu nariz e andava desse jeito para todo o lado, com o tubo em cima de um carrinho de aço. Em um grupo de apoio que ela detestava comparecer, conheceu Augustus Waters. O garoto de 17 anos teve osteossarcoma, câncer nos ossos, havia amputado a perna esquerda, mas já estava SEC (sem evidência de câncer).

Hazel e Augustus se conhecem e começam um relacionamento incrível, cada um com sua característica: Hazel com nariz entubado e Augustus com prótese que o dificultava dirigir, andar, sentar, levantar e atividades simples do dia a dia. A partir daí, o livro descreve como os dois vão se relacionando.

O livro é contemporâneo e narrado em primeira pessoa pela própria Hazel. Logo, já dá pra imaginar a linguagem completamente popular da geração atual como "e aí", "mas aí", "tipo assim" tanto nos diálogos quanto nos parágrafos. Sou totalmente a favor disso, pois facilita e muito a compreensão da narrativa e expressa muito mais do que palavras do português formal e idiota.

Isso não significa que o livro foi escrito igual a um adolescente escrevendo no MSN (Deus o tenha). O português e as pontuações são muito bem colocadas. Eu lia uma sequência de 10 páginas em muito menos de 5 minutos, porque a linguagem flui, não é nem um pouco truncada. Isso me deu mais prazer na leitura do que o Frankenstein - Mary Shelley (resenha).

Tudo ali é narrado com a maior liberdade, utilizando "bolas" ao invés de "testículos", "punheta" para se referir à uma confusão que havia, "meteu o pé no acelerador" etc. Como só gosto de ler de madrugada, o li em três delas com uma média de 100 páginas por noite. Pra mostrar como é fluída a linguagem e de fácil compreensão. Olha só esse trecho:

"- E aí? - falei
 - E aí? - ele disse
E aí ficamos em silêncio um tempo"

Esse joguinho com o "e aí" são um exemplo e existem várias partes do mesmo estilo dessa.

Pode ter certeza que este livro vai mexer com seus sentimentos, porque até mesmo eu que tenho um coração de pedra me emocionei. No final do livro lacrimejei e fiz caretas de tristeza, como já disse. Se isso aconteceu comigo, você que tem o coração sensível vai desabar em choros, com certeza. Choros gratificantes, tenho que admitir.

Você ri com os diálogos, chora nessas partes, sente pena ao sentir na pele as dificuldades, como subir uma escada, de uma garota com câncer nos pulmões, torce... Teve uma hora que eu até gritei! Pra quem já leu ou vai ler, tenho certeza que fez/vai fazer o mesmo: na página 250 (da versão da Instínseca) eu gritei mesmo "CHUPAAAAAA". Você com certeza vai entender e fazer o mesmo.

  • Protagonistas: Hazel Grace e Augustus Waters;
  • Espaço: aberto;
  • Lugares: Indianápolis (EUA) e Amsterdã (Holanda);
P.S.: decidi que não vou mais postar os elementos (apresentação, complicação, clímax e desfecho) porque acabo dando spoiler.

PRÓXIMA RESENHA: A Cabana - William P. Young
Parece démodé, mas eu comprei esse livro quando lançou e nunca li. Mesmo assim vou postar a resenha aqui.

4 comentários :

  1. Olá Gunnar! Olha eu aqui novamente. Shuashuashua
    Ai senhor, se você se diz 'coração de pedra' conseguiu lagrimejar os olhos, imagine euzinha aqui, toda sentimental, toda romântica e tal...Ai pode imaginar não é, rios e rios de lagrimas.
    Bom este livro esta aqui na minha prateleira só esperando sua vez para ser lido,e confesso, estou com vontade de colocar ele na frente dos outros livros. Só não espalhe tá!hahahahahahahahahaha
    também quero saber o que acontece na pagina 250. Bom chega não vou falar mais. Acho que vou ali fazer aquilo que disse em segredo a você.

    AMEI a resenha!

    Beijokas Ana Zuky

    Se pensarmos direito, é exatamente isso que vai acontecer. Pois nossa linguagem sempre esta se inovando, com novas pronuncias, etc... Mas vou dar o credito a Camila, eu não aguentaria ler algo que estivesse escrito 'cê'.
    Tá certo que esta nova maneira de falar e escrever é errado, porem o que você levantou Gunnar é a realidade, é o que vai acontecer daqui a uns bons anos(só espero que demore bastante, para não precisar ver isso.hahahahahahahahahahahahahahahahaha).
    A forma de você abordar este assunto é bem interessante, é algo para se pensar e discutir.

    Beijokas Ana Zuky

    Blog Sangue com Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana,

      A Culpa É Das Estrelas foi o livro mais emocionante que eu já li. Eu o considero o melhor livro que já pude ler. Vale muito a pena você ler o quanto antes.

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..busca.livrariasaraiva.com.br/saraiva/Reverso
    www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Juliano.

      Não, nunca ouvi falar. Mas até achei legal só pelo que você disse. Queria só saber como ele inverte essas teorias...

      Obrigado pela visita!

      Excluir