Pesquisar

A escola se responsabiliza por afastar alunos da leitura

O texto da postagem está destacado abaixo porque este blog foi criado em 2.012, quando Gunnar Santos tinha apenas 16 anos. Ele publicava aqui conteúdo de Política devido a sua vontade em seguir o Jornalismo Político.

Os textos que contêm tal destaque, como este, são apenas os de caráter crítico e político escritos naquele momento e, portanto, não representam qualquer posicionamento, opinião ou pensamento tanto da GNR como do próprio Gunnar. A decisão de mantê-los aqui se deu pelo fato de que faz parte da história do conteúdo produzido por ele. No entanto, para evitar interpretações equivocadas, se fez necessária a adição desta nota.

Em contrapartida, as antigas publicações literárias não fazem parte dessa classe e não carregam esse aviso.

- Grupo GNR.

A forma com que a escola repassa a Literatura aos alunos faz com que eles criem repulsão por leitura. O método de tal ensino deve ser alterado fortemente para o bem de todos e para a valorização dos livros.

Eu venho pensando ultimamente por que os brasileiros evitam ao máximo a Literatura? É uma coisa maravilhosa, uma fantasia livre de restrições com magias, bruxas, romances, ações... Livros são uma fonte de entretenimento muito mais saudável do que muitas práticas cotidianas dos brasileiros. Mas por que a leitura não é valorizada entre nós?

Comecei me lembrar de como eu havia começado a gostar de livros e cheguei à seguinte conclusão: a escola afasta as crianças da prática de leitura. Se dependesse da escola, eu não estaria no mundo literário tão intensamente como hoje, porque a forma com que as instituições de ensino tratam e aplicam a Literatura é desprezível.

Ler era uma coisa muito chata pra mim até minha mãe me indicar a leitura de Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco. Se trata de um romance romântico (sempre é bom esclarecer: "romance" porque é dividido em capítulos; "Romântico" porque é do Romantismo) e é considerado o Romeu e Julieta português. É uma história verdadeira de amor, sem aquela babaquice de final feliz inventado pela Disney.

A partir dessa leitura fui querendo outros livros, e mais outros e outros, e em fevereiro de 2.014 lançarei meu primeiro livro. Porém a escola não teve nada a ver com isso. O motivo é que eles falam da história da Literatura de uma forma muito ampla, como se fosse a única coisa a estudar e passam livros muito intelectuais com aquelas representações sociais e críticas ao governo, além da linguagem truncada. Aluno da sétima série não está nem aí pra tudo isso, o que eles querem é uma história legal para curtir.

Não tem como alunos do Fundamental II lerem um livro interessado nas críticas sociais envolvidas. É por esse motivo que Til, O Cortiço e derivados são obras odiadas pelos adolescentes. Então eles leem, odeiam a experiência e não querem mais ler nada! Isso, professores, é um grave problema! Já que vocês querem tanto falar de sociedade, que tal tratar na atual?

Para não ser utópico, a solução que eu sugiro é a leitura de obras contemporâneas. Aulas de Literatura devem ser ministradas considerando a história cronológica das escolas literárias sim, mas bem superficialmente. O objetivo das aulas de Literatura não deve ser a história da Literatura, e sim as técnicas atuais de escrita, tendências atuais e uma discussão a respeito dos temas dos livros: drama, terror, suspense...

Eu GARANTO que os alunos se interessariam muito mais por aulas dinâmicas sobre Guerra dos Tronos, A Culpa É Das Estrelas e Harry Potter do que por Memórias Póstumas de Brás Cubas. É um clássico? É, mas já era! Devem ser considerados? Sim, mas não com tanta profundidade!

Sempre indico A Culpa É Das Estrelas (resenha) para quem nunca leu ou não tem o hábito, pois este livro é atual, com uma linguagem extremamente divertida e fluída, uma história de amor para ter aventura e com o final ideal. Ou seja, é entretenimento e não crítica. Adolescentes querem entretenimento, e não considerações políticas a respeito da ditadura. Então, passando por um dos corredores da minha atual escola, havia uma parte de uma parede totalmente dedicada a Literatura contemporânea! Vejam a foto:


Fiquei muito feliz quando vi que a escola que estudo está incentivando corretamente a leitura das crianças do Fundamental. Repare que só tem livros atuais ali e o primeiro é justamente A Culpa É Das Estrelas! Não resisti e tive que tirar uma foto disso.

A forma com que essa escola está tratando a Literatura é mais do que correta. Se os alunos que elaboraram esses cartazes não leram os livros, pelos menos viram a sinopse, escreveram algo e viram que se tratam de histórias interessantes cuja leitura valeira o tempo dedicado. Além de A Culpa É Das Estrelas, vemos aí Quem é Você, Alasca?, A Menina Que Roubava Livros, Memórias de Um Amigo Imaginário, O Teorema de Katherine e A Cabana no final. Simplesmente fantástico.

Sei que uma andorinha não faz verão, mas espero que essa postagem chegue até o máximo de instituições de ensino possíveis pelo bem da Literatura. E devo parabenizar os idealizadores desse projeto em minha escola atual.


Encerro com essa frase que se encaixa perfeitamente com meu pensamento e com a reflexão dessa postagem.



4 comentários :

  1. Concordo plenamente contigo. Quem não está acostumado a ler, não vai conseguir passar das primeiras páginas dos tradicionais livros que as escolas obrigam seus alunos a lerem, os famosos "clássicos". Ok, são clássicos, mas não são para todos...
    A minha cunhada sempre falava que a mais velha dela não gostava de ler, e eu dizia, ela não pegou o livro certo. Conhecendo-a como eu a conheço, eguei um livro meu bem a carinha dela, e batata, leu e gostou. Cada pessoa tem um estilo de leitura que deve ser respeitado. Um leitor não se faz de um dia para o outro. As escolas como você mesmo disse e muito bem dito, não sabem atrair seus jovens. O gosto pela leitura deve ser inserido já desde o maternal, com livros apropriados, ricos e que chamem a atenção dos pequenos. Meus filhos começaram em casa, depois procurei uma escola que pensasse como eu e hoje eles mesmo me pedem livros. Não adianta querer empurrar goela abaixo um Dom casmurro vara quem não está habituado, vale mais a pena pegar um livro atual e depois outro e mais "outros" e quando derem por si, já são leitores. O mural da escola está de parabéns e realmente mereceu uma foto.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rose,

      Que bom que você pensa como eu. Acontece que não são todos, infelizmente. Você fez muito bem com seus filhos, parabéns!

      Volte sempre!

      Excluir
  2. Para a minha monografia fiz uma pesquisa sobre leitura, e a maioria dizia exatamente isso, que a escola influenciou negativamente, que elas se afastaram dos livros, criaram receio dele, mas que um amigo apresentou o livro "certo", elas amaram os livros e não largaram nunca mais. Acho que os alunos devem sim ler os clássicos, mas se deve ter um projeto que faça com que o aluno leia por gostar e não por obrigação, o que é muito errado.
    Adorei o post.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NeyaRa,

      Eu já acho que os alunos nem deveriam ler esses livros. Porque não é o estilo deles e é isso o que os afasta da leitura. Essas obras deveriam ser mencionadas sim, mas as aulas de Literatura deveriam ser com livros contemporâneos, que são mais "agradáveis" aos que nunca leram um livro.

      Beijos!

      Excluir