Pesquisar

O que o Jornalismo tem a ver com fofoca?

O texto da postagem está destacado abaixo porque este blog foi criado em 2.012, quando Gunnar Santos tinha apenas 16 anos. Ele publicava aqui conteúdo de Política devido a sua vontade em seguir o Jornalismo Político.

Os textos que contêm tal destaque, como este, são apenas os de caráter crítico e político escritos naquele momento e, portanto, não representam qualquer posicionamento, opinião ou pensamento tanto da GNR como do próprio Gunnar. A decisão de mantê-los aqui se deu pelo fato de que faz parte da história do conteúdo produzido por ele. No entanto, para evitar interpretações equivocadas, se fez necessária a adição desta nota.

Em contrapartida, as antigas publicações literárias não fazem parte dessa classe e não carregam esse aviso.

- Grupo GNR.

"Fo.fo.ca.: fato ou coisa contada em segredo, sem conhecimento do(s) visado(s) ou sem conhecimento real ou efetivo.
Jor.na.lis.mo.: publicação periódica"
Priberiam.pt

As pessoas que sonham em fazer faculdade de jornalismo, quando vai se aproximando o período dos vestibulares, começam a pesquisar sobre o curso nas horas livres para saber mais sobre a profissão. Todos fazem isso, na verdade, mas estou destacando o jornalismo porque é uma profissão diferenciada que as pessoas acabam ficando perdidas em como começar a trabalhar na área.

Sites profissionais com foco em estudos como o Guia do Estudante tratam do assunto e assumem a responsabilidade de mostrar ao vestibulando o que esperar da profissão. O GE é o mais requisitado e depois de acessá-lo bastante, comecei a ver alguns blogs independentes que falavam de tudo um pouco, sabe?

Encontrei um especialmente que tratava o jornalismo de uma forma negativa. O principal argumento era que qualquer um que sabe escrever pode ser jornalista (isso eu vou discutir alguns parágrafos abaixo). Falavam outras coisas opiniosas que acabei ignorando porque é o melhor a fazer. Então lá vou eu pra escola ([ironia]a grande e madura classe do terceiro ano do Ensino Médio[/ironia]) e, falando sobre Universidades com uma garota, travei este diálogo:

- Você gosta de escrever? - Ela perguntou.
- Gosto.
- E de ler?
- Até agora todas as pessoas que eu conheci que gostavam de ler, gostavam de escrever.
- Mas, tipo, ler bastante.
- Tenho um blog sobre isso.
- E de tirar foto, você gosta?
- Fotos de mim não. Só de coisas úteis [essa minha última frase me coloca como uma pessoa inútil sim, mas o que eu sempre quero dizer com isso é que é bem melhor fotografar uma paisagem ou algum fato do que um autorretrato.]
- Jornalista tem que viajar bastante, você sabe.
- Claro que sei. Mas se eu gosto de escrever e fotografar, não vou achar ruim viajar pra cobrir matérias.
- Ah, mas se te mandarem fazer uma matéria na favela você tem que ir.
- Assim como se você trabalhar em escritório e for chamado pra uma reunião, tem que ir.
- Mas na favela é perigoso.
- Na reunião é mais, acredite.
- Você pode levar tiro na favela!
- É só não sair com uma doze na mão! Além disso, tem as áreas específicas. Eu quero entrar no ramo político.
- Mas se te mandarem pra favela você vai.
- Político não mora em favela não, querida.
- Que seja. Se te mandarem pra um lugar que você não quer ir, você vai e não pode nem reclamar.
- Você acha que ser jornalista é o mesmo que ser escravo?
- Não, mas se eles te enviarem...
- Meu, que cisma você tem com "se eles te enviarem"! Se eu não estiver satisfeito com minha função eu saio!
- Mas essa é a essência do jornalismo, falar o que está acontecendo.
- Hã?!
- Você gosta de fofoca?
- Não!
- Ah, então você não dá pra ser jornalista.










Dei a discussão por encerrada.

Vocês viram que eu obedeci a todos os "critérios do jornalismo" e só uma falta já me condenou a estudar matemática. Mas o que me incomodou foi que ela usou o termo fofoca pra comparar ao jornalismo. Como assim?! A função do jornalista é fofocar agora? Vou publicar na minha coluna do NY Times:

Gente, não contem pra ninguém, ninguém mesmo. Mas minha irmã lavando louça quebrou o prato que a minha mãe mais gostava. E sabe o que é pior? Minha mãe viu e só está fingindo que não pra ver se minha irmã vai contar!

Querida! Essa função é da Ego! A Ego não faz jornalismo, faz fofoca! Fizeram uma matéria com o título "Grazi Massafera deixa a academia de celular na mão" e no corpo da matéria tinha só "Grazi Massafera se exercitou numa academia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, nesta terça-feira, 26." Isso não é jornalismo! Se pra ser jornalista basta saber escrever, vai terminar escrevendo pra Ego.

William Fucking Bonner é âncora do jornal mais cobiçado do Brasil. Pra isso, ele é formado pela USP! Qualquer um pode fazer a mesma função dele? Acho que não, né?

Jornalismo, gente, não é fofocar. É investigar um assunto, entrevistar, editar, implementar, gravar de novo, estabelecer roteiros... Não é pra qualquer um.


6 comentários :

  1. Concordo plenamente, Gunnar! Existem "jornalistas" e jornalistas. O pessoal tem mania de generalizar as coisas, só ver os extremos e, no caso do jornalismo, enxergam o pior deles, que é relacionado com à fofoca. Pelo amor de Deus, né! Nem acredito que ainda tem gente que pensa que fazer coberturas, até mesmo em locais perigosos, é fofoca!
    Trabalhei em um jornal durante 4 meses e, embora fosse só repórter policial (eu buscava informações nas delegacias, o que não me deixava menos exposta que nos reais locais dos crimes), também fiz algumas matérias avulsas. E, olha, é MUITO difícil. A pressão é tão grande, é tanta responsabilidade que toda vez meu pai me ajudava (ele é experiente) e ainda assim eu ficava maluca. Precisa, além de talento e força de vontade, gostar do ritmo acelerado. Você tem que correr atrás, tem um prazo mínimo pra conseguir tudo, redigir na mais perfeita linguagem jornalística, etc e tal. Agora, há um universo de diferença entre uma notícia de interesse público e uma matéria sobre um artista que coçou a bunda enquanto passeava no shopping, né...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKK

      Pois é, Gih. Ainda existem muitos imaturos que falam do Jornalismo sem conhecimento prévio. Legal você ter sido repórter! Super bacana.

      Beijos!

      Excluir
  2. A profissão de Jornalista tem sido muito criticada e interpretada de uma forma má e errada pela sociedade em geral. As pessoas confundem paparazzi com jornalistas. Concordo plenamente com a sua visão sobre o assunto, e inclusive, escrevi sobre isso no meu blog, se quiser dá uma olhada lá :) http://conexahollywood.blogspot.com.br/2013/10/jornalismo-profissao-da-moda.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jhoyce,

      Eu vi a postagem no seu blog e super concordei também. Foi lendo a postagem, inclusive, que eu lembrei da conversa que tive com essa pessoa aí, rsrs.

      Obrigado pela visita.

      Beijos!

      Excluir
  3. AI MEU DEUS, que criatura foi essa que conversou com você? Serio que ela acho que ser jornalista é saber ou querer fofocar. Juro, eu ri muito dessa ser, a qual você conversou.
    Jornalismo é algo totalmente diferente de ser um paparazzi(acho que a ser acha que paparazzi é jornalista.ahahahahahahaha) ou melhor um fofoqueiro da vida alheia.O que para mim é algo tão superficial e sem carácter algum. Ao contrario do jornalismo que nos leva a uma realidade nua e crua. Com assunto de interesse, e não a algo grotesco e sem valor.
    Ai, acho que morro e não vejo tudo!Hahahahahhahahahahaahahahaha

    Beijokas Ana Zuky

    Blog Sangue com Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana!

      Pois é, tem gente pra tudo, rsrsrs. Ela quer ser engenheira e construir pontes e viadutos. Eu poderia muito bem falar que se ela for mandada pra um lugar ruim ela teria que ir, rs. Tem gente que pensa que jornalismo não é nada sério.

      Beijos!

      Excluir