Breaking

03/12/2017

Cory Barlog, produtor de God of War, desaprova opinião da EA sobre jogos lineares: "Simplesmente um absurdo"

Blake Jorgesen, da Electronic Arts, disse coisas que não agradaram boa parte da comunidade de jogadores.


Durante uma apresentação para investidores na 21ª Conferência Anual de Tecnologia do Banco Credit Suisse, o diretor de finanças da Electronic Arts, Blake Jorgesen, falou sobre o fechamento da Visceral Games e consequentemente o cancelamento do jogo Star Wars. Acontece que suas palavras - que apenas revelam a visão da empresa sobre este assunto específico - não agradou a muitos fãs de videogames. Entre eles, Cory Barlog, produtor de God of War.

A Visceral Games era uma desenvolvedora que pertencia à Electronic Arts. É comum que gigantes do ramo adotem essa postura, de contratar ou até mesmo comprar pequenos estúdios inteiros para focarem no desenvolvimento de jogos específicos. A Visceral estava desenvolvendo um jogo de Star Wars, que com o fechamento do estúdio seguirá para Vancouver à espera de que uma nova equipe dê continuidade.

Patrick Söderlund, vice-presidente executivo da EA, explicou no dia 17 de outubro que um jogo de aventura linear baseado numa história foi testado internamente, e o resultado foi que a companhia decidiu mudar a direção. O discurso de Jorgesen na Conferência, então, serviu para justificar o motivo dessa mudança.

Conforme publicação do site dualshockers.com, o diretor de finanças argumentou que a Visceral  Games trabalhou duro para alinhar o jogo às expectativas da Electronic Arts, que era "elevar o jogo a um novo nível" - seja lá o que isso significa. Como os resultados se convergiam a "apenas" uma história linear, concluíram que não seria possível a recuperação do investimento, pois "as pessoas não gostam tanto nos dias de hoje como gostavam há cinco ou dez anos".

Isso afetou Cory Barlog, produtor de God of War, que se pronunciou no Twitter e respondeu internautas:

"Do artigo sobre a EA comentando o jogo da Visceral: [...] Meu Deus, EA, simplesmente um absurdo".


A conta @SonyRumors discordou da opinião de Cory, baixando um pouco o nível das palavras:

"Acho que o que ele [Black Jorgesen] quis dizer é que as pessoas não gostam de jogos lineares de merda, o que é verdade para qualquer jogo. Pessoas não gostam de jogos de merda".

Cory Barlog:
"Sim, pessoas não gostam de jogos ruins, é claro, mas eles também estão pontuando aos jogos lineares, como se linearidade fosse um tipo de escavação. E não poderia discordar mais. Grandes experiências lineares serão sempre grandes. [...]".


Além de ficar ao lado de Cory, eu adoto a opinião de outro usuário que disse que a Electronic Arts é o câncer da indústria gamística. Ao se posicionar dessa forma, a EA simplesmente desconsidera o grande mercado atual e indestrutível de jogos como The Last of Us, Uncharted, os novos Tomb Raider, Until Dawn, Dying Light, Far Cry e o próprio God of War... Realmente é um absurdo uma empresa tão conceituada admitir (erradamente) que as pessoas não gostam tanto quanto anos atrás.

Os e-sports são um nicho totalmente diferente à respeito de experiência de jogo. Pergunte a qualquer pro-player quais jogos ele gosta e terá uma lista de jogos lineares. Se esse jogo do Star Wars chegar ao mercado, terá muitos olhares curiosos negativos de pessoas que perguntarão "era esse o nível elevado que a EA estava querendo?". Já começará com um marketing negativo. Sabe qual a solução pra reverter isso? O jogo realmente ser muito bom, como aconteceu com Watch Dogs 2. Muitos se desapontaram com o primeiro jogo e o segundo chegou sob muita desconfiança. Grande parte das pessoas comprou apenas para ver se a franquia tinha conseguido ficar boa. Hoje o jogo está indo bem... Apenas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário